Travessa Padre Prudêncio, 731, entre as ruas Caetano Rufino e Silva Santos


A Casa Dirigível foi um espaço cultural gerido pelo Dirigível Coletivo de Teatro, que funcionou entre os anos de 2013 e 2016 como escola de arte, casa de espetáculos, residência artística, cineclube e galeria. Nesse tempo, desenvolveu os projetos Teatro na Trindade e Sábado tem e domingo que vem, com mostras de espetáculos de teatro aos finais de semana, que alternavam apresentações no Casarão do Boneco e na Praça Barão do Rio Branco, em frente à Igreja da Trindade, no bairro da Campina. Além disso, realizou o Programa Piloto, em parceria com a Plúvia Produções, que juntos produziram conteúdo audiovisual de músicos de Belém com repertório autoral. Após o fechamento desse espaço, seu coletivo gestor, implicado com a produção de artes cênicas, musicais, visuais, e audiovisuais, desenvolveu novas formas de sobrevivência de seus processos artísticos, participando, de modo colaborativo, de intervenções poéticas com outros artistas, grupos e espaços da cidade, como o Casarão Viramundo, através de uma rede política e afetiva de trocas criativas e experiências de autogestão. Mais vivos do que nunca, se desterritorializam para se reterritorializarem na construção de novas territorialidades no contexto cultural da cidade.

 

Os projetos Teatro na Trindade e, em seguida, Sábado tem e domingo que vem, precisaram parar, devido à pressão da SECON e SEMA, Secretarias Municipais de Economia e do Meio Ambiente de Belém, respectivamente. A primeira, por proibir a venda de água na praça e a colocação de cadeiras ou esteiras na grama, para assento do público transeunte. E a segunda, por taxar a diária de liberação do referido espaço público, ocupado por artistas que ofereciam à cidade uma programação artística gratuita, custeada pelo próprio bolso e força de trabalho dos envolvidos no projeto, sem nenhum ônus para o poder público.

 

COLETIVO-GESTOR:

Dirigível Coletivo de Teatro

Somos um grupo que produz espetáculos cênicos a partir de pesquisas e experimentações artísticas entre diferentes linguagens – teatro, literatura, dança, música, vídeo e artes plásticas. O grupo teve origem em 2011, dentro do curso de Licenciatura em Teatro da Universidade Federal do Pará e, é formado, hoje, por professores de teatro e de música, que

se dedicam a investigar, principalmente, a rotatividade de funções como mecanismo pedagógico de formação continuada do grupo e de cada integrante enquanto artistas e professores. Em seis anos de trajetória produzimos quatro espetáculos para caixa cênica, três espetáculos de rua, uma experimentação cênica, com três esquetes, uma performance de ocupação da Casa Dirigível e de espaços não-convencionais, uma performance de rua inspirada nas brincadeiras da tradição popular, um bloco de carnaval, em parceria com o Viramundo, além de diversas contações de histórias. Sempre experimentando o palco italiano, o teatro de rua, a performance e a brincadeira popular, e compreendendo a arte como ato de responsabilidade social e de comprometimento político e pedagógico com o lugar em que vivemos. Gerenciamos ainda o Espaço Cultural Casa Dirigível, que permaneceu por três anos em funcionamento enquanto escola de arte, casa de espetáculos, residência artística e galeria (2013-2016). O coletivo integra ainda a Associação de Teatro e Dança da Amazônia – A Trama, e a rede Pirão Coletivo, reunião de sete grupos artísticos da cidade de Belém: Companhia de Teatro Madalenas, Produtores Criativos, Ins Bust Teatro com Bonecos, Desabusados Companhia, Companhia de Investigação cênica, e Projeto Vertigem, unidos com o intuito de fomentar a produção das artes cênicas do estado do Pará.

 

Eventos e Premiações:

– Prêmio Seiva de criação e difusão artística da Fundação Cultural do Pará – Performance de rua "A BUFA CEIA" – 2016.

– Participação no edital FUNARTE de ocupação da Torre Malakoff, Recife/PE – Espetáculo "Pássaro",    2016.

– Prêmio Myrian Muniz de circulação de espetáculos – Migração Dirigível – 2015.

– Bolsa de Pesquisa, Criação e Experimentação Artística do Instituto de Artes do Pará – Pesquisa "Poética da Vadiagem: princípios da brincadeira popular na performance de rua" – IAP, 2015.

– Prêmio PROEX de Arte e Cultura – Montagem espetáculo "Pássaro" – UFPA, 2015.

– Participação no edital de Ocupação do Teatro Plínio Marcos, Brasília/ DF – Espetáculo O pequeno Grande Aviador e Contação Frida Clown, 2015.

– Mostra Pirão nos Bairros, Belém/PA – Espetáculo Sucata e Diamante, 2014.

– Festival Estudantil de Teatro / FETO / Belo Horizonte- MG, espetáculo O Pequeno Grande Aviador- 2012

– Festival de Teatro Universitário do Pará, UFPA – Espetáculo A Paixão de Dionísio – 2012.

– Festival de Teatro Universitário do Pará, UFPA – Espetáculo O Pequeno Grande Aviador – 2011.

Repertório de espetáculos:

– Espetáculo O pequeno Grande Aviador, 2011.

– Performance Cântico dos Cânticos, 2011.

– Espetáculo de Rua Sucata e Diamante, 2012.

– Performance 731 são doze, 2014.

– Espetáculo Pássaro, 2015.

– Performance de Rua Passarinho-Boi, 2015.

– Espetáculo The Big Bang Clown, 2015.

– Espetáculo de rua “A Bufa Ceia”, 2016.

– Montagem A Coisa(Em processo), 2016.

– Espetáculo “Orelha e Marcelita em: Monstros”, 2016.

– Espetáculo “Um show de fuleragem”, 2016.

– Bloco de carnaval “BEC-BLOCO”, 2017 – parceria com Casarão VIRAMUNDO.

Espetáculos-pocket/ Contações:

– As três pérolas da Índia, 2011.

– O círculo do destino, 2011.

– Quem é o mais poderoso, 2011.

– Monstros: A Rona Dentões, 2011.

– Monstros: O Chinu, 2011.

– O circo dos horrores, 2012.

– O Pato que partiu, 2012.

– De doente todo mundo cuida um pouco, 2013.

– O Castanheiro, 2014 – parceria com a In Bust Teatro com Bonecos.

– O Pato que partiu, 2014.

– A Dona dos Gatos, 2015.

– Frida Clown, 2015.

 

Ana Marceliano – anamarceliano@gmail.com

Artista da cena e professora de teatro. Formada pelo curso de licenciatura plena em teatro da Escola de Teatro e Dança da UFPA, e pelo técnico em ator na mesma Instituição. Trabalha como atriz, diretora, professora e produtora cultural. Atuante na cidade de Belém/PA há 19 anos, participou como atriz em mais de trinta espetáculos, dirigiu sete encenações, e produziu dez dramaturgias levadas a público nos últimos cinco anos. Também é contadora de histórias infantis, bufa, palhaça e integrante do Bando Mastodontes como back vocal e percussionista (2015-2017). Membro fundador do Dirigível Coletivo de Teatro, trabalhou como gestora do espaço cultural Casa Dirigível, de 2013 à 2016 – e hoje desenvolve, de forma colaborativa, a pesquisa, experimentação e criação artística, a partir da rotatividade de funções dentro do Coletivo. No dirigível é atriz em todos os espetáculos e dirigiu a primeira montagem O Pequeno Grande Aviador. Trabalha essencialmente com o teatro de rua, o teatro de invasão, a intervenção urbana, o meta-teatro, a performance e a brincadeira, com o foco nas relações humanas, no trabalho em coletivo e nas ações em rede. Premiada com a bolsa de pesquisa e experimentação da Fundação Cultural do Pará através da Casa das Artes (antigo Instituto de Artes do Pará) nos anos de 2014 e 2016 e contemplada com a Bolsa de Formação em Artes Cênicas da FUNARTE 2016 – em desenvolvimento, acompanhe o diário de bordo através do link: https://abufagira.tumblr.com/.

Curriculo completo em: http://lattes.cnpq.br/0912016036329813

 

Armando de Mendonça – armandomenf@gmail.com

Músico, compositor, ator e educador popular. Bacharel em Música pela UEPA – Instituto Conservatório Carlos Gomes, e técnico em música na mesma Instituição. Membro fundador do Dirigível Coletivo de Teatro já foi gestor do Espaço Cultural Casa Dirigível. Integra como ator e músico o grupo Dirigível Coletivo de Teatro e o coletivo de artes cênicas Pirão Coletivo. Tem experiência artística concentrada nas linguagens cênicas e da música, com vivências diversas e plurais no campo da música popular, música tradicional do Brasil e de outras nacionalidades, e música de concerto. Tem atuado como músico, arranjador, compositor, diretor musical, produtor musical e ator de diversos espetáculos cênicos e como músico convidado em bandas, grupos, corais, orquestras e brinquedos populares e de saúde da cidade. Desenvolve pesquisa em educação popular com música e artes cênicas e produção de trilha sonora para teatro, dança e performance em parceria com diversos e plurais coletivos da cidade de Belém PA, tais como Dirigível Coletivo de Teatro, Cia Madalenas, Coletivo Viramundo, Palhaços Trovadores, Cia de Investigação Cênica, Grupo Vertigem, entre outros.

 

Antônia Costeseque
Atriz, contra regra, compositora e apoio técnico, atuante na Cidade de Belém há quatro anos, é membro fundador do Dirigível Coletivo de Teatro na qual assume as funções de atriz e compositora. Formada em Técnico em Arte Dramática pela Escola Estadual de Educação Tecnológica do Pará Prof. Anísio Teixeira. Já participou como atriz em espetáculos como: Circus da Compadecida, 2010, e O Pequeno Grande Aviador e o Planeta do Invisível, 2011.
Enoque Paulino de Souza Júnior – enoqpaulino@gmail.com

Professor, ator, iluminador, produtor e diretor teatral. Membro fundador do Dirigível Coletivo de Teatro, professor de teatro e concluinte do Curso Técnico de Formação em Ator, ambos pela ETDUFPA. Foi ator e é iluminador cênico do espetáculo O pequeno grande aviador e o planeta do invisível do Dirigível Coletivo de teatro. Diretor e produtor do Espetáculo de teatro de Rua Sucata e Diamante. Diretor, iluminador e Produtor do Espetáculo Cinematográfico Nó de 4 pernas, e bolsista do projeto de pesquisa acadêmica Dramaturgia Amazonida: Construção do Acervo dramatúrgico. Foi iluminador cênico dos seguintes espetáculos do Grupo de Teatro Universitário: Ao Vosso Ventre, 2012, Horizonte de Aço, 2012, Animalismo: a Nova Ordem Mundial, 2013. Em 2013 foi iluminador de Dança Florescer da Cia Ribalta, e em 2014 do espetáculo circense Te vira, tu não és de circo? Do projeto vertigem. Contemplado com o Prêmio Proex de Arte e Cultura 2013, com o Projeto Teatro no Pacoval, realizado em Soure, Marajó. Performer no espetáculo 731 são Doze do Dirigível Coletivo de Teatro. Ator no espetáculo Pássaros, do Dirigível Coletivo de Teatro. Brincante do Passarinho Boi, cortejo/brincadeira de rua, 2015. Circulação Migração Dirigível, contemplado pelo Prêmio Funarte Myriam Muniz. Ator no espetáculo de palhaço Orelha e Marcelita em: Monstros, do Dirigível Coletivo de Teatro. Ator no espetáculo Bierdermann e os Incendiários do Curso técnico de Teatro, 2017.

 

Luciano Lira – lirateatro@gmail.com

Licenciado Pleno em Teatro pela Universidade Federal do Pará. Atua como professor de teatro, músico, compositor e produtor cultural. No campo das cênicas é integrante do Dirigível Coletivo de Teatro e da Cia dos Notáveis Clowns. Na área da música é fundador do Bando Mastodontes.

 

Maycon Douglas – maycon_conha@hotmail.com

Ator, diretor e dramaturgo. Formado pelo curso técnico de formação em ator pela Escola de Teatro e Dança da UFPA, Belém, Brasil. Graduado em Licenciatura plena em teatro pela Universidade Federal do Pará. Participou como ator dos espetáculos O pequeno grande aviador e o planeta do invisível, em 2011 (Dirigível Coletivo de Teatro); Auto do Círio, 2010 (UFPA); Maquina- história de uma paixão sem limites, 2010 (Grupo de Teatro Universitário); Notrono, 2010 (UFPA); e Sucata e Diamante, 2012, aonde além de atuar produziu a dramaturgia deste (Dirigível Coletivo de Teatro). Participou ainda como ator do Auto natalino e da Paixão de Cristo, ao longo de 10 anos (2001 – 2011). Participou de oficinas de teatro desde o ano de 2006 até 2011, uma oficina de interpretação no ano de 2010 e um curso de pintura de 2004 até 2006. Participou também de eventos como o Seminário de dramaturgia, nos anos de 2010 e 2011.

 

Paula Nayara – paula_arayan@hotmail.com

Graduada na Licenciatura em Teatro pela UFPA em 2015, onde também é formada como iluminadora cênica, desde 2012, pelo Programa Nacional de Acesso ao ensino técnico e emprego (Pronatec). Atriz dos seguintes espetáculos: Histórias da terra (Grupo de Teatro de Bonecos “Mapará com Açaí” – 2007); Ludique (Grupo Cênico da Fundação Curro Velho – 2010); Coronel Dornelas e a Maldição de Taperê (Resultado de oficina com Grupo Experiência – 2011); Ao Vosso Ventre (GTU – 2012); Raça Vira-Lata (GTURua – 2013).  Iluminadora dos espetáculos: A Aventura do Teatro (Curso livre turma do Infatil – etdufpa – 2012); Ato da compadecida (Curso livre turma juvenil – etdufpa – 2013); Te Vira1 tu não és de Circo? (Grupo Vertigem – 2014); Florescer (Grupo Ribalta -2014); Um sonho de uma noite de inverno/ Barrela/ No Trono, e As Aventuras do Mundo Encanado (Os Varisteiros – 2014 e 2015); Maresia (Vertigem – 2014); Pássaro/ cortejo do Brinquedo Passarinho Boi/ Natal Bufo e O Pequeno Grande Aviador no Planeta do Invisível (Dirigível Coletivo de Teatro – 2015 e 2016). Em 2016, foi professora de iluminação cênica pelo PRONATEC (ETDUFPA) e da oficina de teatro e máscara no Centro de Referência Especializado para a População em Situação de Rua (Centro Pop São Brás, 2017) apresentação teatral do resultado da bolsa de pesquisa artística pela Fundação Cultural do Pará, de Ana Marceliano (A Bufa Ceia, 2016); B.E.C Bloco (Brinquedo de Encontro da Cidade, 2017); laboratório de cênicas (Fundação Curro Velho, 2017).

 

Raissa Araújo – araujoraissa@usp.br

Jornalista, atriz e designer gráfico. Atualmente mestranda no programa de Meios e Processos Audiovisuais, na Escola de Comunicações e Artes da Universidade de São Paulo (ECA/USP), e pesquisadora da FAPESP.  Tem experiência artística concentrada no campo das cênicas, sendo integrante fundador do Dirigível Coletivo de Teatro. Já trabalhou na gestão do espaço cultural Casa Dirigível de 2013 à 2015, juntamente com os membros do Coletivo.

 

Rodolpho Sanchez – rodolphosanchez@outlook.com

Ator, Palhaço, brincante do teatro popular do Pássaro Junino e Pastorinha. Professor, Graduado em Teatro pela Universidade Federal do Pará (ETDUFPA). Pesquisador / Bolsista da Fundação de Amparo e Desenvolvimento da Pesquisa – FADESP, junto ao IPHAN, no projeto de patrimonialização do teatro popular do Pássaro Junino. Membro fundador do Dirigível Coletivo de Teatro, diretor do espetáculo Pássaro, e ator de O Pequeno Grande Aviador e o Planeta do Invisível, Sucata e Diamante, 731 são Doze, Passarinho-boi. Paixão de Cristo (Bairro Canudos), Barata: pega na chinela e mata (Grupo Cuíra do Pará), O Segredo de Uma Traição e outros (Pássaro Junino Tucano) Síndrome de Clown (Sesc Boulevard). Bolsista da Escola de Aplicação da UFPA de 2011 a 2013. Em 2013 defendeu o TCC intitulado Introdução ao Vocabulário dos Pássaros, orientado pelo professor João de Jesus Paes Loureiro. Em 2015 publica, pela FCPTN, o livro, de autoria coletiva, Escola de Pássaros: Reflexões sobre o Teatro Popular do Pará. No mesmo ano foi contemplado com o prêmio de Pesquisa, Experimentação, e Criação Artística da Casa das Artes, com a pesquisa Poética da Vadiagem: Princípios do Brinquedo Popular na Performance de Rua. Investiga culturas populares do interior do Estado do Pará. É pesquisador de palhaçaria / técnicas de clown e comicidade no teatro popular. Integrante do grupo de estudos “Clown Nosso de Cada Dia” vinculado à ETDUFPA, coordenado pelo profº. Drº Marton Maués. Em 2016, estreia o espetáculo Um Show de Fuleragem, e atualmente, é aluno da ESLIPA − Escola Livre de Palhaços no Rio de Janeiro.

 

 

Links:

Site:
Fanpage Facebook:/
Me põe na boa – Dirigível Coletivo de Teatro:
SP Cultura – Dirigível Coletivo de Teatro:

 

Vídeos:














 

Fotos:

« 1 de 2 »