Tv. Piedade, 533, esquina com a Tiradentes

 

 

 

A Casa dos Palhaços é um espaço de produção e difusão da arte da palhaçaria, técnicas circenses e teatro de rua, gerido pelo grupo de teatro Palhaços Trovadores, que há dezenove anos desenvolve atividades de pesquisa, experimentação, e criação da arte clownesca no Estado do Pará. Sua potência poética- política se firma pela criação de um território de ensino e circulação dessa tradição artística no norte do país, que resiste ao abrigar as demandas de artistas paraenses interessados nesse tipo de expressão cênica, promovendo um diálogo intercultural com grupos circenses e palhaços de todo Brasil. Desenvolve os projetos Palhaçadas de quinta, que acontece a cada dois meses na última quinta do mês, com apresentações de esquetes, gags e números de palhaçaria, e Tem gente na casa, que disponibiliza o espaço para apresentação de trabalhos de coletivos ou artistas visitantes. Também realiza Encontros e Seminários de pesquisa sobre temas que atravessam sua expressão poética.

COLETIVO-GESTOR:

Palhaços Trovadores

A Associação Cultural Palhaços Trovadores foi criada em novembro de 1998 e é um núcleo de pesquisa que atua há 19 anos com a arte da palhaçaria, teatro de rua e técnicas circenses, tendo como uma de suas fontes de criação a cultura popular (brinquedos, folguedos, pastorinhas, quadrilhas, e boi-bumbá, além de outros elementos da cultura paraense como mitos, trovas e canções), extraindo desta os elementos poéticos e estruturais para suas criações. Outras fontes criativas vêm da pesquisa com dramaturgias clássicas de teatro. Em seu percurso, o grupo vem processando um apuro de seus princípios poéticos, ao experimentar criações cênicas induzidas por fontes expressivas diversas que se amalgamam na composição de seus espetáculos.

 

Repertório de espetáculos:

– Sem peçonha eu não trepo neste açaizeiro (Desde 1998)

– O singelo auto de Jesus Cristinho (Desde 1998)

– O boi do Romeu no curral da Julieta (Desde 1999)

– Clow sois o lírio mimoso (Desde 1999)

– A quadrilha dos Trovadores no caminho da Rocinha (Desde 2001)

– A morte do patarrão (Desde 2001)

– Amor Palhaço (Desde 2002)

– A singela cantata de Jesus Cristinho (Desde 2003)

– Secretária, traz um quilo de bombom (Desde 2004)

– Ó, abre alas (Desde 2005)

– O hipocondríaco (Desde 2006)

– O mão de vaca (Desde 2010)

– O menor espetáculo da Terra (Desde 2010)

– A vingança de Ringo (2017)

– Reprise: retalhos de risos (Desde sempre)

 

Marton Maués (Palhaço Tilinho)

Iniciou sua carreira em 1982, a convite do diretor Claudio Barradas, que realizava a adaptação e montagem da novela O Carro dos Milagres, de Benedito Monteiro. Trabalhou posteriormente no grupo Cena Aberta, um dos mais importantes da época em Belém, participando de montagens históricas como Theastai Theatron, espetáculo polêmico que desafiou a censura da época; e Genet, o Palhaço de Deus. Juntamente com o diretor Henrique da Paz, reativou um dos grupos mais antigos de Belém, o Gruta, em 1987, realizando como ator e co-diretor os seguintes trabalhos: Cínicas & Cênicas, Caosconcadicáfica, É mesmo e A vida, que sempre morre, que se perde em que se perca?. É licenciado em Letras, pela UFPA, possui Especialização em Arte-educação – PUC/MG (1997), e Mestrado e Doutorado em Artes Cênicas – UFBA (2004/2012). É professor da Escola de Teatro e Dança da UFPA, desde 1995, atuando nas disciplinas História do Teatro, Expressão Vocal, Corpo e Máscara, Técnicas Corporais e Palhaçaria. Na escola, coordena o Projeto de Pesquisa O Clown Nosso de Cada Dia, realizando estudos e treinamentos de palhaçaria. É fundador e diretor do grupo Palhaços Trovadores, pioneiro da linguagem do clown em Belém/PA.

 

Isac Oliveira (Palhaço Xuxu)

Começou carreira artística como aderecista e sonoplasta dos Palhaços Trovadores, participando como palhaço nas montagens realizadas para o Auto do Círio. Em 2004, participa como palhaço-apresentador do espetáculo Secretária, traz um quilo de bombom. Participou como ator-palhaço e manipulador do espetáculo O menor espetáculo da Terra. É especialista em Gestão Escolar e graduado em pedagogia pela Universidade do estado do Pará (UEPA), com bacharelado em Ciências Sociais pela Universidade da Amazônia (UNAMA).

 

Alessandra Nogueira (Palhaça Neguinha)

Atriz desde 1992 e Terapeuta Ocupacional desde 1997. Especialista em Estudos Contemporâneos do Corpo pelo ICA/UFPa (2010), com formação pela Escola de Teatro e Dança da UFPa, em 2004, no Curso Técnico de Formação em Ator. É integrante do grupo Palhaços Trovadores há 16 anos. Trabalhou como professora substituta na Escola de Teatro e Dança da UFPA (ETDUFPA), entre os anos de 2005 a 2007, dirigindo as práticas de montagem Acerca de sangue e Calabar. Em 2015, dirigiu o espetáculo Querem caferem?, com Romana Melo, dos Palhaços Trovadores. Participou de espetáculos com outros grupos da cidade de Belém como Grupo Gruta de Teatro e In Bust (este a partir de uma oficina de bonecos de miriti).  Participou de Oficinas com o Grupo LUME – Núcleo Interdisciplinar de Pesquisas Teatrais, a Cia do Gesto, Grupo Balagandan, com Maria Thais. Atualmente, trabalha como terapeuta num abrigo de mulheres em situação de violência doméstica.

 

Marcello Villela (Palhaço Bumbo Chelo)

Ator formado pela Escola de Teatro e Dança da UFPA atuando nas seguintes montagens: Mariano, As Academias de Sião e Jogos Masculinos de Ternura e Dor. Professor de Ensino das Artes na Educação Infantil e no Ensino Fundamental I e II. Na função de professor dirigiu, entre 1998 a 2006, espetáculos, coordenou e dirigiu nas Mostras de Teatro da Cooperativa Educacional Nossa Escola – (Culminância dos segmentos da Educação Infantil (maternal a Alfa) e Ensino Fundamental (1ª a 4ª séries). No Colégio Madre Zarife Sales, dirigiu os Saraus Lítero-Artísticos e projetos curtas metragens baseados em leituras obrigatórias do vestibular 2016 a 2013. No Colégio Dom Mario foi responsável pela direção artística da Resenha Literária. No Colégio Santa Rosa foi Professor de Teatro – Segmento Ensino Fundamental II e Ensino Médio, de 2013 à 2016. Dirigiu Paixão de Cristo e Sarau Literário, trabalhando na FUNPAPA – Escola-Circo (Cremação), sendo Instrutor da Oficina de Clown, de fevereiro à dezembro 2003. É membro fundador dos Palhaços Trovadores, participando de vários espetáculos do repertório do grupo como ator-palhaço, iluminador, e sonoplasta. Atuou como dramaturgo do espetáculo O Menor Espetáculo da Terra, dos Palhaços Trovadores, participou como assistente de direção, de 2014 a 2016, do cortejo cênico Auto do Círio, da Universidade Federal do Pará, da direção dos espetáculos Brincanças, do grupo Engrenagem, e Amor Amor, da atriz-palhaça Andrea Flores.

 

Romana Melo (Palhaça Estrelita e Uisquisito)

É atriz/palhaça do grupo de teatro Palhaços Trovadores, artista-pesquisadora, e mestra em Artes (2016) pelo Programa de Pós-Graduação em Artes pela Universidade Federal do Pará. Possui Graduação em Nutrição, pela Universidade Federal do Pará – UFPA (2008), Especialização em Segurança Alimentar e Nutricional (2011) e em Populações Indígenas na Amazônia: Sociedade, Cultura e Meio-Ambiente (2012), ambas pela Universidade Federal do Pará. Formada pelo Curso de Iniciação Teatral, da Universidade Popular – UNIPOP (2004), é integrante, desde 2007, da Associação Cultural Palhaços Trovadores. Atualmente, vem aprofundando sua pesquisa dentro do grupo, com a criação de uma poética intitulada Palhaçaria Agridoce, que reúne sua experiência artística com seu conhecimento científico na área da nutrição, onde é graduada, e pela pratica da culinária, que resulta na mistura de sabores de seus dois palhaços: palhaça Estrelita e palhaço Uisquisito. Atua como arte educadora de atividades culturais ligadas à arte da palhaçaria, ministrando oficinas corporais e de Teatro, em diálogo com a educação, assistência e saúde.

 

Adriano Furtado (palhaço Geninho)

Possui graduação em Ciências Biológicas – Licenciatura pela Universidade Federal do Pará (2001). Mestrado em Ciências Biológicas com ênfase em Biologia Celular pela Universidade Federal do Pará (2204). Doutorado em Biologia de Agentes Infecciosos e Parasitários com ênfase em Helmintologia pela Universidade Federal do Pará (2009). Atualmente, é Professor Adjunto III, em regime dedicação exclusiva, do Instituto de Ciência Biológicas da Universidade Federal do Pará, e coordenador do programa de Pós-graduação em Biologia de Agentes Infecciosos e Parasitários  (ICB/UFPA), onde também atua como orientador de mestrado. Desenvolve pesquisa em Taxonomia, Epidemiologia e Biologia Molecular de Helmintos da Região Amazônica. Faz parte da comissão Executiva do XIX Congresso Brasileiro de Parasitologia Veterinária Belém-PA 2016), com a função de Tesoureiro. Possui carreira artística com experiência em Teatro e, desde 2001, é integrante do Grupo de Teatro Palhaços Trovadores, onde participa como ator, aderecista e cenógrafo. Em 2010 fundou a Companhia Cênica de Cínicos, atuando como ator e diretor de teatro. Desde 2010, tem participação na Direção do espetáculo O Auto do Círio (Projeto de Extensão do Instituto de Ciências da Arte – ICA/UFPA).

 

Rosana Coral (Palhaça Bromélia)

Estudou piano, flauta e teoria Musical no Conservatório Carlos Gomes no ano de 1977 a 1982. Fez curso de canto e coral na Universidade do Estado do Pará (UEPA). Trabalha com os Palhaços Trovadores desde 1999, ano de montagem do espetáculo O Boi de Romeu no Curral da Julieta. Participou também dos seguintes espetáculos: Sem peconha eu não trepo neste açaizeiro, O Singelo Auto do Jesus Cristinho, A Singela Cantata do Jesus Cristinho, A Quadrilha dos Trovadores a caminho da Rocinha, Ô Abre Alas!, O hipocondríaco, O mão de vaca, O menor espetáculo da Terra. Foi aluna da Escola de Teatro e Dança da UFPA, mas não chegou a concluir seu curso. Em março de 2012, participou do “Esse monte de mulher palhaça” – Festival Internacional de Comicidade Feminina, organizado pelo grupo do Rio de Janeiro As Marias da Graça. Participou da oficina The Dance and The Clown, ministrada pela canadense Grindl Kuchirka. Além da função de atriz-palhaça, atua como gestora da Casa dos Palhaços e da Associação Cultural Palhaços Trovadores, na função de tesoureira.

 

Cleice Maciel (Palhaça Pipita)

Atriz/palhaça do Grupo Palhaços Trovadores desde 2002, com licenciatura em Teatro pela Universidade Federal do Pará, atua como professora de artes na Escola Madre Celeste. É arte educadora e coordenadora desde 2009,  do Projeto Arte no Movimento Republica de Emaus. Em 2010 ingressou no Grupo de Pesquisadores em Arte Cênicas da Amazônia-PACA, pelo PIBIC-UFPA, como bolsista do projeto de Pesquisa Brasileiramente Árabe. Em 2012 participou Grupo de Estudos e Pesquisa em Cultura Popular, Educação, Artes e Laser- LACOR (PAPIM) e, atualmente, coordena o Projeto Tem Gente na casa, da Casa dos Palhaços. De 2002 à 2016 participou com o grupo de Teatro Palhaços Trovadores, dos seguintes espetáculos: : A morte do patarrão, Secretária, traz um quilo de bombons,  Amor Palhaço, Sem peconha eu não trepo neste açaizeiro, O Hipocondríaco, O Singelo Auto do Jesus Cristinho, O menor espetáculo da Terra, Ô Abra Alas, Égua xiri, tem termo, A quadrilha dos palhaços Trovadores na Rocinha, O boi do Romeu no Curral da Julieta,  A Singela Cantata do Jesus Cristinho, e A vingança de Ringo.

 

Suane Corrêa (Palhaça Aurora)

É atriz e palhaça, formada pelo Curso de Formação em Ator da ETDUFPA. Desde 2003, integra o grupo teatral Palhaços Trovadores com a palhaça Aurora Augusta. Desenvolve treinamento com técnicas de acrobacia de solo e malabares, e as funções de secretária e gerenciadora das mídias sociais na internet. Como atriz, também participou dos seguintes trabalhos: A Incrível História de Cândida Erêndira e sua Avó Desalmada (2002 – direção de Wlad Lima e Karine Jansen), Lisístrata (2003 – direção de Valéria Andrade e Ester Sá), realizados pela ETDUFPA, e Nega, que tu tem? (2005 – direção de Henrique da Paz e Rutiel Felipe). Foi colaboradora, de 2009 a 2011, do grupo Pesquisadores em Artes Cênicas na Amazônia (PACA), atuando no projeto de pesquisa Teatro d@ Floresta: uma História do Teatro da Amazônia do Tempo Presente inscrita na Web, coordenado pela Profa. Dra. Wlad Lima. No âmbito das políticas culturais, foi membro suplente do Colegiado Setorial de Teatro do Ministério da Cultura (2012-2014), e atua como artista-articuladora do Fórum Livre Permanente de Teatro do Pará (FLPT) e da Rede Brasileira de Teatro de Rua (RBTR). Possui graduação em Letras – habilitação em Língua Francesa (2005-2009/UFPA) e Mestrado em Estudos Literários (2009-2011/UFPA). Atualmente, é professora substituta da Universidade Federal Rural da Amazônia (UFRA), ministrando disciplinas na área de Comunicação e Expressão; e professora-orientadora da Licenciatura em Teatro PARFOR/UFPA, e da Especialização em Estudos Linguísticos e Análise Literária da Universidade do Estado do Pará (UEPA).Marcelo David (Feijão): Entrou para o elenco dos Palhaços Trovadores em 1999, depois de fazer oficina de clown, mas antes disso atuava como instrutor de Artes Marciais- Kung-Fu-, época em que ganhou vários prêmios. Dentro dos Palhaços Trovadores, além de ator, desenvolve pesquisa com as técnicas circenses (acrobacia e malabares). Foi monitor, em 2007 e 2008, do Prof. Dr. Marton Maués na disciplina Máscara e Corpo do Curso Técnico de Formação em Ator da Escola de Teatro e Dança da Universidade Federal do Pará – ETDUFPA. Ministrou oficina de Técnicas Circenses (acrobacia e malabares) na Universidade do Estado do Pará – UEPA no curso de Educação Física; oficina de Teatro de Rua com técnicas circenses no Projeto: A Arte está onde o povo está – Coordenação: Instituto de Artes do Pará; oficina de Técnicas Circenses (básica) para crianças da Fundação Curro Velho no ano de 2005; oficina de Técnicas Circenses (acrobacia, malabares, pirofagia e perna- de-pau) no projeto realizado pela Secretaria de Estado de Cultura (Secult), por meio do Sistema Integrado de Teatros (SIT) no ano de 2008. Possui experiência em arte-educação, trabalhando atualmente como arte- educador no PROPAZ nos bairros, pela Fundação Curro Velho. Também trabalhou como arte-educador ambiental na Secretaria Municipal de Meio Ambiente – SEMMA; e também na Fundação da Criança e Adolescente do Estado do Pará – FUNCAP, utilizando as técnicas circenses como ferramenta de inclusão social. Foi aluno da Escola Nacional de Circo/RJ. No ano de 2004, foi bolsista do Instituto de Artes do Pará – IAP, com a pesquisa “Clown & Kung-Fu: em busca de (mais) um treinamento técnico para o ator” e, no mesmo ano, trabalhou com a preparação acrobática do espetáculo “Secretária, traz um quilo de bombom!”, resultado do projeto de pesquisa e criação artística “A arte circense em Belém do Pará: história e técnica” da atriz e palhaça Cleice Maciel (também bolsista do IAP). Também vem participando de encontros com atores e pesquisadores do grupo Lume, de Campinas/SP, fazendo os treinamentos sobre metodologia para ator, treinamento técnico e energético do ator. Participou de palestras sobre circo e oficina de acrobacia no Festival Mundial de Circo em Belo Horizonte/MG nos anos de 2007 e 2009. Está cursando a graduação em Tecnólogia em Sistema de Telecomunicações – IFPA. Além de ser ator-palhaço, é Diretor Administrativo dos Palhaços Trovadores.Marcelo David (Feijão): Entrou para o elenco dos Palhaços Trovadores em 1999, depois de fazer oficina de clown, mas antes disso atuava como instrutor de Artes Marciais- Kung-Fu-, época em que ganhou vários prêmios. Dentro dos Palhaços Trovadores, além de ator, desenvolve pesquisa com as técnicas circenses (acrobacia e malabares). Foi monitor, em 2007 e 2008, do Prof. Dr. Marton Maués na disciplina Máscara e Corpo do Curso Técnico de Formação em Ator da Escola de Teatro e Dança da Universidade Federal do Pará – ETDUFPA. Ministrou oficina de Técnicas Circenses (acrobacia e malabares) na Universidade do Estado do Pará – UEPA no curso de Educação Física; oficina de Teatro de Rua com técnicas circenses no Projeto: A Arte está onde o povo está – Coordenação: Instituto de Artes do Pará; oficina de Técnicas Circenses (básica) para crianças da Fundação Curro Velho no ano de 2005; oficina de Técnicas Circenses (acrobacia, malabares, pirofagia e perna- de-pau) no projeto realizado pela Secretaria de Estado de Cultura (Secult), por meio do Sistema Integrado de Teatros (SIT) no ano de 2008. Possui experiência em arte-educação, trabalhando atualmente como arte- educador no PROPAZ nos bairros, pela Fundação Curro Velho. Também trabalhou como arte-educador ambiental na Secretaria Municipal de Meio Ambiente – SEMMA; e também na Fundação da Criança e Adolescente do Estado do Pará – FUNCAP, utilizando as técnicas circenses como ferramenta de inclusão social. Foi aluno da Escola Nacional de Circo/RJ. No ano de 2004, foi bolsista do Instituto de Artes do Pará – IAP, com a pesquisa “Clown & Kung-Fu: em busca de (mais) um treinamento técnico para o ator” e, no mesmo ano, trabalhou com a preparação acrobática do espetáculo “Secretária, traz um quilo de bombom!”, resultado do projeto de pesquisa e criação artística “A arte circense em Belém do Pará: história e técnica” da atriz e palhaça Cleice Maciel (também bolsista do IAP). Também vem participando de encontros com atores e pesquisadores do grupo Lume, de Campinas/SP, fazendo os treinamentos sobre metodologia para ator, treinamento técnico e energético do ator. Participou de palestras sobre circo e oficina de acrobacia no Festival Mundial de Circo em Belo Horizonte/MG nos anos de 2007 e 2009. Está cursando a graduação em Tecnólogia em Sistema de Telecomunicações – IFPA. Além de ser ator-palhaço, é Diretor Administrativo dos Palhaços Trovadores.

 

Marcelo David (Palhaço Feijão):

Entrou para o elenco dos Palhaços Trovadores em 1999, depois de fazer oficina de clown, mas antes disso atuava como instrutor de Artes Marciais- Kung-Fu-, época em que ganhou vários prêmios. Dentro dos Palhaços Trovadores, além de ator, desenvolve pesquisa com as técnicas circenses (acrobacia e malabares) e exerce o cargo de Diretor Administrativo. Ministra oficinas de Teatro de rua e técnicas circenses (acrobacia, malabares, pirofagia e perna- de-pau). Possui experiência em arte-educação, trabalhando no programa PROPAZ nos bairros pela Fundação Curro Velho. Também trabalhou como arte-educador ambiental na Secretaria Municipal de Meio Ambiente (SEMMA); e na Fundação da Criança e Adolescente do Estado do Pará (FUNCAP), utilizando as técnicas circenses como ferramenta de inclusão social. Foi aluno da Escola Nacional de Circo/RJ. No ano de 2004, foi bolsista do Instituto de Artes do Pará, com a pesquisa Clown & Kung-Fu: em busca de (mais) um treinamento técnico para o ator. Também vem participando de encontros com atores e pesquisadores do grupo Lume de Campinas/SP, fazendo os treinamentos sobre metodologia para o trabalho do ator. Fez o curso de Tecnologia em Sistema de Telecomunicações pelo IFPA, e está cursando, desde 2016, a graduação em Engenharia da Computação pela UFPA;

 

Sônia Alão (palhaça Pirulita)

É atriz/palhaça há dezoito anos do Grupo de Teatro Palhaços Trovadores, dirigido por Marton Maués, participando de todas as montagens cênicas realizadas ao longo desse tempo. Em 2016, participou como atriz do projeto Ó de Casa! Posso Entrar para Cuidar?, do grupo Coletivas Xoxós, do qual também faz parte. Durante o período do Curso de Formação de Ator pela Escola de Teatro e Dança da UFPa, participou como atriz de três espetáculos, dois dirigidos por Miguel Santa Brigída e um dirigido por  Wlad Lima. Atuou como atriz da Dramática Companhia na montagem de dois espetáculos dirigidos por Wlad Lima: Os Amores Abandonados de Jennifer e O Homem que Chora por Um Olho Só. Também foi atriz da Cia Nós do Teatro, na montagem de um espetáculo dirigido por Marton Maués O Pastelão e a Torta, e com o grupo Cuíra do Pará, em três espetáculos As Gatosas, Barata Pega Na Chinela e Mata, ambos dirigidos por Edyr Augusto Proença, e,  Auto do Coração, dirigido por Wlad Lima.

 

Antônio do Rosário (palhaço AM)

Iniciou sua carreira participando de cursos e oficinas de teatro de rua, técnicas circenses e clown. No ano de 2002, passou a integrar o grupo teatral Palhaços Trovadores onde, além do trabalho de ator/palhaço, desenvolve pesquisa com as técnicas circenses de acrobacia, malabares e equilíbrio. Da mesma maneira, participou como convidado do grupo Mãos Livres, atuando no espetáculo “Palhaços Surdos” sob a direção de Lourdes Guedes. Graças à bolsa de incentivo as atividades circenses da Funarte, Antônio Marco concluiu o Curso Básico de Formação em Artes Circenses no ano de 2010; a partir do qual pode cursar, posteriormente, se formou no Curso Técnico de formação Artes Circense na Escola Nacional de Circo (FUNARTE). Outro dos cursos de extrema relevância na formação do artista foi o da ESLIPA – Escola Livre de Palhaços do Grupo de Circo – Teatro Off Sina – Rio de Janeiro, 2012. Tal formação permite que desenvolva trabalhos coletivos e individuais com as técnicas e conhecimentos dos cursos acima citados. E atualmente cursando o curso de licenciatura em Educação Física – ESMAC e atuando como arte Educador no Movimento República de EMAUS.

 

Links:

Casa dos Palhaços: nosso canto no mundo

Palhaços Trovadores – wordPress.com

Palhaços Trovadores – Fanpage

Mostra no Teatro Universitário comemora 17 anos dos Palhaços Trovadores

 

Vídeos:







 

Fotos:

« 1 de 2 »

 

Contradispositivo-mapa: